Maybe yes, maybe not.

Talvez devêssemos dizer tudo o que sentimos, talvez não, pois isso poderia afastar pessoas.

Talvez devêssemos chorar quando desse vontade, talvez só engolir o choro mais uma vez.

Talvez devêssemos implorar por aquilo que temos medo de perder, talvez aquilo que realmente é nosso, não precise de nada disso.

Talvez o último beijo deixe mais saudade que o primeiro, talvez nem se iguale a ele.

Talvez um abraço afague as mágoas passadas e nos faça retomar relações. Talvez isso não seja suficiente.

Talvez olhar para trás em algum momento seja bom. Como aquele momento após a despedida.

Talvez independência nos faça crescer, mas talvez ela possa doer, mesmo assim.

Talvez oportunidades passem despercebidas. Talvez as melhores sejam aquelas que você viveu.

Talvez  precisemos agradecer com palavras, mas talvez isso não seja possível.

Talvez achemos que temos todo o tempo do mundo. Talvez não tenhamos mais tempo.

Talvez a vida nos faça perceber que a matéria não é um terço de tudo o que consiste nossa existência. Talvez percamos uma vida toda pensando que isso o que vemos é tudo o que somos.

Talvez achemos que demos tudo de nós, quando o nosso tudo, na verdade, era infinito.

Talvez nossos medos nos impeça de fazer o que mais queríamos, talvez ele seja uma boa forma de despertar a força incomensurável que temos, e nem sabíamos que existia, mas ela estava lá. 

Talvez. E essa palavra pode nem existir. As coisas podem ser ou não ser. Sem meios termos. Sem dúvidas.

Talvez os conflitos psíquicos e sentimentais que nos invadem sejam apenas criações inexistentes de algo que não sabemos definir.

Talvez estejamos confusos agora. Talvez nós só não tenhamos percebido ainda a certeza que nossas almas estão tentando expressar.

Talvez só precisemos de vozes doces nos dando segurança. 

Talvez um novo dia venha. Talvez não existam outros, e podemos ter perdido a chance de ver nosso último pôr do sol. Ou perdido a chance do último “eu te amo”; e do último perdão.

Talvez nossas crenças mudem. Talvez sejam as mesmas em toda a existência.

Talvez canse toda essa dúvida. Talvez ela só desperte nossos sentimentos.

Talvez eu esteja cansativa e repetitiva; mas talvez eu esteja abrindo os olhos e a alma de alguém.

Ou a minha.

 

Maybe yes, maybe not. 

 

 

Anúncios

4 pensamentos sobre “Maybe yes, maybe not.

    • Com certeza! Não é fácil aprendermos a viver distantes das pessoas que amamos, nem mudar nossas, mas que a gente sigasempre forte sabendo que há um motivo maior e que nosso crescimento vem daí. :)))

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s